Incêndio atinge comunidade no Jaguaré

0
664

Foto: Bombeiros/PMESP

Bombeiros/PMESP
Estimativa é que o fogo comprometeu ao menos 60 moradias

A Comunidade Diogo Pires no Jaguaré foi atingida por um grande incêndio na terça-feira (2). Estima-se que ao menos 60 moradias foram comprometidas em uma área equivalente a 2500 m² com nenhuma vítima fatal. No auge da ocorrência, 17 viaturas dos Bombeiros foram acionadas. Entidades da região se mobilizaram para recolher doações para as famílias que perderam bens e itens pessoais.

O ocorrido retomou o debate sobre a necessidade de moradia digna na cidade. “A receita para esse problema já está escrita e até muito debatida em ambientes técnicos, acadêmicos e com a sociedade. Aprovação de projetos de intervenção urbana, na dose certa seria oportuno. A Câmara tem sinalizado para esse caminho votar o PIU Leopoldina e em seguida o Arco Pinheiros, trás não só o tratamento do problema habitacional, como também a requalificação de uma das áreas mais nobres da cidade. Agora voltando do distanciamento, esse deverá ser um tema prioritário para encerrar esse ano com avanços imprescindíveis para a Zona Oeste”, publicou o vereador Paulo Frange em sua página em uma mídia social.

A Associação Viva Leopoldina (AVL) afirma que irá realizar uma campanha para arrecadar doações para a comunidade junto com o morador e líder comunitário do Jaguaré Paulo César Maluf e considera como oportunismo a utilização do incêndio para retomar o debate do Projeto de Intervenção Urbana Vila Leopoldina/Villa-Lobos e aprová-lo nos moldes que ele tramita na Câmara, que sempre foram criticados pela entidade. “Nos parece oportunismo quando vereadores que nunca estão lá ou têm uma presença constante, que só aparecem em época de campanha política, se utilizam do incêndio para divulgar o PIU Leopoldina que não tem absolutamente nada a ver com a Comunidade Diogo Pires. Os cálculos dos moradores daqui é que o dano ao erário com o PIU pode chegar a R$ 1 bilhão. Os números são controversos, mas daria para fazer entre 20 mil e 60 mil casas populares com essa quantia, não as cerca de 800 que estão sendo oferecidas. Quando temos um incêndio como o da Diogo Pires vemos que cada centavo em impostos não pode ser atribuído como desconto quando se tem um déficit habitacional violento”, afirma Carlos Alexandre de Oliveira, diretor de relações de governo da AVL.

A AVL realiza a coleta de alimentos, fraldas, leite e artigos de higiene na loja Bichus Pet Shop, na Avenida Imperatriz Leopoldina, 20. As doações serão entregues para a comunidade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA