Paróquia Nossa Senhora da Lapa completa 110 anos

0
477

Foto: Divulgação

Divulgação
Desde 1980, o pároco da igreja é o Padre Adalton Pereira de Castro que empreendeu diversas reformas para tornar o templo mais próximo do seu projeto original

Ícone da região, a Paróquia Nossa Senhora da Lapa completa 110 anos na próxima terça-feira (7). Será realizada uma missa festiva no dia, às 15h, para celebrar a data. No sábado (11), às 16h, acontece a Festa da Padroeira no formato drive-thru, quando será possível retirar diversos quitutes como lanche de pernil, lanche de berinjela, pastel, cuscuz, tortas, doces e bolos. As encomendas devem ser feitas até o dia 9 (quinta-feira) pelo telefone (11) 2609-1568 e o pagamento pode ser realizado via PIX. A chave é o telefone 1198651-1776. A retirada será das 15h às 20h na igreja que fica na Rua Nossa Senhora da Lapa, 298.

A história da paróquia está diretamente ligada ao desenvolvimento da região. Foram os padres jesuítas que receberam terras ao redor do Rio Emboaçava, em 1561, os responsáveis por iniciar um assentamento e o início da população lapeana. Até a metade do século XIX, a Lapa era habitada basicamente por trabalhadores das olarias e agricultores locais. Foi em 1870, com a instalação das ferrovias e a imigração europeia que começou um crescimento decisivo para o bairro, assim como o incentivo para o surgimento das primeiras indústrias. A então capela que daria origem à igreja chegou a funcionar como uma escola para crianças e adultos.

Foi em 1911 que a capela foi elevada à categoria de Paróquia e denominada de Nossa Senhora da Lapa. Desde 1980, o pároco da igreja é o Padre Adalton Pereira de Castro que empreendeu diversas reformas para tornar o templo mais próximo do seu projeto original. “Atuo há 41 anos como pároco à frente da comunidade e é um trabalho muito bom porque nossa missão, em primeiro lugar, é anunciar Jesus Cristo, levar mensagens do evangelho e de fé para as pessoas. A presença da nossa igreja aqui na região oeste de São Paulo é fundamental. Somos um referencial de solidariedade porque o nosso trabalho, além de evangelizador, tem também uma dimensão social, de reinserção das pessoas na vida comunitária e de acompanhamento dos mais vulneráveis nas suas dificuldades e suas dores”, declara o padre Adalton.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA