Comunidade cobra Bressan e Kassab

0
798

“Por que o Kassab não percorre as ruas da Lapa e Leopoldina e pergunta para a população o que ela está achando da decisão do subprefeito Paulo Bressan em fechar as portas do Pelezão para a realização do 8º Arraia da Lapa?”. Ao fazer esse questionamento, o presidente do Conselho das Sociedades Amigos de Bairro da Lapa e Região, José Benedito Boneli Morelli, coloca no colo do prefeito de São Paulo parte da grave crise local que tem como pivô o próprio Bressan, que há tempos entrou em rota de colização com a comunidade.
O JG, em conversa com importantes nomes da administração Serra-Kassab, apurou que caciques do PSDB paulistano não conseguem explicar como é que o subprefeito deixou a situação chegar a esse ponto de ruptura. “O que está acontecendo não é bom para ninguém”, disse um influente tucano procurado pela comunidade para tentar encontrar alguma forma de viabilizar o ‘arraiá’ no Pelezão.
Ao saber que Kassab viria ao Pelezão para inaugurar no local o projeto Clube Escola, a leitora Helena, moradora da Vila Hamburguesa, ligou para a redação do jornal e desabafou: “A gente espera o ano inteiro por essa festa. Meus vizinhos me perguntam: é verdade que não vai ter arraiá no Pelezão? Se é verdade que o prefeito vem ao Pelezão neste sábado eu quero estar lá e falar com ele sobre esse assunto”.
Ao optar por uma administração de confronto com os anseios comunitários, Bressan coloca o próprio PSDB e por tabela a imagem do prefeito Kassab na linha de fogo. Já existe no partido quem esteja preocupado com os estragos eleitorais causados pelo apoio do prefeito de Osasco, o petista Emidio xxxxx que organizou a festa dos 145 anos da vizinha Vila dos Remédios, bairro sob a responsabilidade do subprefeito tucano da Lapa. “Bressan disse que não precisa visitar os bairros, pois recebe relatórios semanais por parte da sua equipe de funcionários. O PT soube explorar esse jeito de administrar e aproveitou o momento para provocar politicamente o PSDB. Do ponto de vista do marketing político, a estratégia do prefeito de Osasco surtiu efeito. O PT posa de mocinho e o PSDB fica com a fama da malvadeza”, avalia uma qualificada fonte comunitária ouvida pelo JG. Segundo ela, ao negar o Pelezão como sede do ‘arraiá’ da Lapa, o Bressan faz o PSDB sangrar eleitoralmente. “Todos sabem que o subprefeito é homem de confiança de Geraldo Alckmin. Se o ex-governador vier a disputar a prefeitura de São Paulo, com que cara ele virá pedir votos aqui na Lapa e região? Afinal, é enorme o índice rejeição do seu amigo Paulo Bressan”.

COMPARTILHE
Próximo artigoPRESTIGIO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA