UBS da Vila Anastácio pode ser despejada por atraso de aluguel

0
3710

Foto: Joaquim Silva

Joaquim Silva
Sobrado da UBS Vila Anastácio onde são atendidos cerca de mil pacientes por mês

Em atividade há 23 anos na Rua Bartolomeu Paes, 686, a UBS Vila Anastácio poderá ter que deixar o imóvel em que funciona. Isso porque a Prefeitura recebeu uma ordem de despejo por não pagar o aluguel do sobrado aos proprietários, um valor de R$ 9 mil por mês, desde agosto de 2013. O juiz Emílio Migliano Neto deu o prazo de 30 dias para ocorrer a desocupação voluntária, que se não for realizada poderá resultar em um despejo coercitivo. A Secretaria Municipal da Saúde afirma que irá tomar as medidas cabíveis para que ao atendimento à população não seja interrompido.

Com muitas reclamações dos usuários por conta da precariedade da estrutura, a UBS atende cerca de mil pacientes por mês, incluindo a população da Lapa de Baixo. O conselho gestor do equipamento e usuários lutam para que a UBS permaneça no bairro. “Lutamos para isso desde 2016 e entregamos ao Ministério Público, no dia 24 de maio deste ano, um abaixo-assinado pedindo a permanência da UBS no bairro, com cerca de 1400, 1500 assinaturas. Aquele imóvel vai ser desocupado, então a nossa luta é para que a UBS permaneça no bairro”, afirma Joaquim Baldoíno da Silva, conselheiro titular do segmento usuário da UBS Vila Anastácio e suplente no conselho gestor da Supervisão Técnica de Saúde Lapa/Pinheiros. Os usuários discutem como possibilidade para uma UBS o terreno da Rua Camacam, 436, da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, onde funciona o albergue emergencial nos meses de frio intenso do inverno, na Operação Baixas Temperaturas. Os usuários entendem que o equipamento fica ocioso na maior parte do ano e poderia ser transferido para a pasta da Saúde.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA