Ato pede reabertura integral do Hospital Sorocabana

0
261

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Manifestação ocorreu no sábado (19) quando o SUS completou 30 anos de existência

No sábado (19), dia em que o Sistema Único de Saúde (SUS) completou 30 anos, foi realizado o ato “AbraSUS” em frente ao Hospital Sorocabana. A proposta foi de dar um abraço no hospital e valorizar o SUS, o que por conta da pandemia ocorreu com distanciamento social medido com faixas entre as pessoas. Coletivos como o Pompeia Sem Medo, Lapa Sem Medo e Comitê de Defesa do Hospital Sorocabana aproveitaram o evento para pleitear a reabertura integral do hospital, com reforma e uso dos andares que estão desativados, atendimento 100% dedicado aos pacientes do SUS e sob gestão direta da Prefeitura com servidores concursados e controle social através de um conselho gestor.

O pré-candidato à Prefeitura pelo PSOL Guilherme Boulos participou da manifestação. “Daqui algum tempo ninguém vai acreditar quando se contar a história de que no meio da maior pandemia do século, no país onde morreu mais de 140 mil pessoas, na cidade que é a segunda do mundo em número de mortes por Covid, só atrás de Nova York, de que tinha gente morrendo com um hospital fechado. Isso é inacreditável, a Prefeitura joga para o Governo do Estado e vice-versa, coloca problemas burocráticos. Esse problema tem nome, é descaso com a vida das pessoas. Um hospital com sete andares e cinco estão fechados. O pior é que não é só aqui, que tem um movimento mobilizado chamando atenção para isso, mas se formos em Ermelino Matarazzo, o Hospital Municipal Menino Jesus está fechado integralmente, na Zona Leste onde não teve nenhum hospital de campanha. Assim como na Penha, Brasilândia, Parelheiros. (…) E mais, tem gente querendo ganhar dinheiro em cima das mortes. Por que deixar isso aqui fechado e abrir hospital de campanha sem licitação que está fechando agora? Por que não pegar os equipamentos e gastos dos hospitais de campanha do Anhembi e Pacaembu e colocar aqui para ficar permanentemente?”, disse o pré-candidato.

Toni Zagato, membro do Comitê de Defesa do Hospital Sorocabana, falou sobre a mobilização do coletivo para incluir o hospital da Rua Faustolo nos planos de contingência da Covid-19, ainda em março deste ano. “A pandemia só mostrou para gente como o coletivo e quem luta pela saúde pública estavam certos. O SUS está sob desmonte”, declarou.

O Conselho Participativo Municipal da Lapa, em conjunto com outros conselhos da cidade, enviou um ofício à Prefeitura e Governo do Estado pedindo o uso do Sorocabana para atender pacientes de Covid-19, mas a resposta enviada pela Autarquia Hospitalar Municipal dizia que, apesar de ser uma demanda legítima da população da Lapa e região, a reforma naquele momento seria tecnicamente inviável. Porém, no dia 10 de agosto o prefeito Bruno Covas esteve no hospital para inaugurar 27 leitos de enfermaria e 6 de estabilização (UTI) para pacientes de Covid-19 no andar térreo.

O vereador Gilberto Natalini acompanha o caso do hospital desde o seu fechamento e defende o empenho da Prefeitura e Estado para que a unidade volte à funcionar. “A reabertura parcial do Hospital Sorocabana é boa, mas é uma medida paliativa, não é isso o que há anos estamos reivindicando. Queremos a reabertura total e integral do Sorocabana, 100% SUS”, enfatizou Natalini.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA