Canteiro parado de obras da ponte preocupa moradores

0
392

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Vereador Fabio Riva e Marco Alessio Antunes da SIURB com vizinhos da obra

Preocupados com uma possível invasão do canteiro de obras da Ponte Pirituba-Lapa, moradores da Vila Anastácio estiveram com o vereador Fabio Riva na manhã de quinta-feira (6). Riva explicou o histórico do projeto, embargado judicialmente há mais de um ano, desde abril de 2020, para a criação de um novo estudo de impacto ambiental. Também esteve presente na reunião o engenheiro da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB) Marco Alessio Antunes.

Com os canteiros parados, moradores da Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, sobretudo dos onze novos condomínios construídos na via, estão apreensivos em relação à segurança. Os tapumes metálicos que cercavam a obra foram roubados, bem como outros materiais que fazem parte da estrutura que estava sendo demolida pela Prefeitura. Foi relatado consumo de drogas no amplo terreno, que antes abrigava uma unidade de locação de quadras esportivas, e assaltos a veículos parados no trânsito de acesso à Marginal Tietê. Sem um serviço de segurança ou isolamento, os moradores afirmaram que poderia ser montada uma ocupação no local, que futuramente se tornaria mais um empecilho para o andamento das obras.

Os vizinhos cobraram também a realização das melhorias previstas no projeto da ponte, como o alargamento da avenida e obras de drenagem. “O metro quadrado desvalorizou muito por causa das enchentes que acontecem aqui”, relata o morador da Vila Anastácio Joaquim Baldoíno.

Riva afirmou que a ponte conta com recursos do Fundurb que vão garantir a realização do projeto em sua totalidade e que o término está garantido. Falou ainda que a SP Obras e a SP Urbanismo já estão trabalhando nos ajustes para atender os questionamentos do Ministério Público. “Essa é uma obra muito importante. Em pleno século 21, quando as pessoas estão construindo muros para se isolar, nós literalmente estamos construindo uma ponte para melhorar o acesso e ligar os dois bairros (Lapa e Pirituba)”, disse o vereador.

Para tranquilizar os moradores, Marco Alessio Antunes solicitou que a GCM amplie as rondas no entorno da obra e afirmou que equipes da SIURB estariam no terreno, em horário comercial, para auxiliar na zeladoria, o que pode ajudar a coibir os delitos. Uma sugestão proposta pelos moradores foi a de utilizar o local como um ecoponto enquanto as obras não podem continuar.

Na quarta-feira (5), durante a 9ª Reunião Ordinária da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente da Câmara Municipal, os vereadores aprovaram um requerimento que propõe a realização de uma audiência pública virtual para tratar da paralisação das obras da Ponte Pirituba-Lapa. A data e horário devem ser divulgados em breve.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA