Terreno do Sorocabana passa para o município e prefeito anuncia obras de reconstrução

0
889

Foto: Lúcia Helena Oliveira

Lúcia Helena Oliveira
O prefeito, secretários e vereadores participam de solenidade de repasse do terreno do Sorocabana para o município

O prefeito Ricardo Nunes sancionou na quinta-feira, 25, a lei que autoriza o município, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a receber a doação do terreno do governo estadual onde está instalado o Hospital Sorocabana. Com a posse do terreno, a prefeitura dará início à reconstrução do hospital para que ele seja reaberto integralmente, atendendo a uma reivindicação dos moradores da região da Lapa desde que o Sorocabana foi fechado, em 2010. A aprovação na Câmara Municipal, por unanimidade, do Projeto de Lei 186/2022, que trata do repasse, foi um esforço conjunto de diversos vereadores, entre eles Paulo Frange (PTB), Rubinho Nunes (UNIÃO), Cris Monteiro (NOVO), Fábio Riva (PSDB) e Eliseu Gabriel (PSB), que estiveram presentes na solenidade, da qual também participaram o deputado estadual Capitão Telhada (PP) e os subprefeitos da Lapa, Ismar de Freitas Neto, de Pinheiros, Leonardo Casal, e de Pirituba, Marcos Zerbini.
Nunes ressaltou que o hospital será uma referência na região e disse que não medirá esforços para iniciar as obras ainda neste ano. O projeto em estudo, para o qual já foi destinada verba de R$ 200 milhões, prevê a oferta de, pelo menos, 200 leitos. “Será um hospital geral completo, inclusive com cirurgias e área de maternidade”, afirmou o prefeito. Como atualmente o Sorocabana está aberto parcialmente, graças a uma reforma realizada durante a pandemia e que disponibilizou 55 leitos, a reconstrução deve acontecer sem que os atendimentos sejam paralisados. A prefeitura estima que a obra demore 24 meses. “Para garantir o perfeito funcionamento do hospital, após a reconstrução vamos destinar R$ 400 milhões por ano para a manutenção do Sorocabana”, afirmou.
De acordo com o secretário municipal de Saúde, Luiz Carlos Zamarco, as bases do projeto de reconstrução do hospital já estão definidas. “Com isso, vamos poder resolver, finalmente, o problema de falta de vagas e locais de internação que essa população sofre”, salientou. Um dos vereadores que mais lutaram pela reabertura do Sorocabana, Paulo Frange lembrou que essa nova fase do hospital, que foi fundado há 70 anos, é uma conquista de toda a população da cidade, em especial dos moradores da região, que esperam uma administração 100% SUS para o Sorocabana. Sobre isso, ele destacou: “A cidade de São Paulo tem, hoje, 30 hospitais municipais, todos eles 100% SUS. Por isso, não tem como ser diferente com o Sorocabana”.
Representando os moradores da região o diretor de Relações Governamentais da Associação Viva Leopoldina (AVL), Carlos Alexandre de Oliveira, avaliou que “a assinatura do repasse é o pontapé inicial para que a população da Lapa tenha, novamente, um equipamento de ponta no atendimento à saúde”.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA