Conselho expõe demandas para novo prédio da UBS Vila Ipojuca

1
525

Foto: Arquivo JG

Arquivo JG
Atual prédio da UBS não oferece estrutura adequada de atendimento

Em reunião realizada com representantes do Conselho Municipal e da Coordenadoria Regional de Saúde, na sexta-feira, 19, o Conselho Gestor da UBS Vila Ipojuca apresentou uma série de demandas a serem incluídas no projeto de construção da nova sede da unidade, na Rua Sepetiba.

Entre as principais demandas, está a construção de uma rampa, ao invés de escadas, no acesso ao prédio, para facilitar o fluxo de entrada e saída de pessoas. Outra questão é o estacionamento do local, que o conselho pede que seja apenas para ambulâncias. Ambas as reivindicações foram contempladas, com a anuência dos responsáveis técnicos pelo projeto da obra.

“Nós sempre lutamos para termos na região uma unidade de saúde com melhor infraestrutura física e atendimento”, diz o presidente da Associação Amigos da Vila Ipojuca, Leonildo Siragna. “A rampa é algo fundamental, já que o imóvel fica em uma área de declive”.

No Legislativo, a luta para a construção de uma nova UBS na Vila Ipojuca vem sendo acompanhada de perto pelo vereador Paulo Frange (PTB). Em janeiro, o vereador participou de uma visita técnica no futuro terreno da unidade, na qual também estiveram presentes o secretário municipal de Saúde, Luís Carlos Zamarco, a coordenadora de Saúde Oeste, Regiane de Santana Piva, membros do Conselho Municipal de Saúde e da UBS Vila Ipojuca, representantes da comunidade e outros técnicos da saúde. De acordo com Frange, a proposta é oferecer um espaço amplo e dentro de nova tipologia que quadruplica o tamanho da atual unidade, melhorando muito o acolhimento e atendimento aos munícipes.

1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia,
    É simplismente revoltante ver que a Lapa de Baixo está esta abandonada e jogada as traças, não temos um representante a altura para reestruturar o bairro que com mais de 430 anos não tem sequer um posto de saúde, obrigando moradores idosos a se deslocarem para o Vila Anastácio onde tem dificil acesso por onibus e fica em uma região cercada por transportadoras, perigosamente para estacionar e parar para nossos idosos descerem dos veiculos!!! Socorro precisamos de uma atitude de saude onde afinal são 430 anos e não dois dias. Sr, Paulo Frange olhe também para depois do viaduto da Lapa há contribuintes também!!!

DEIXE UMA RESPOSTA