Dengue avança na região e Prefeitura promove mutirão de atendimento

0
343

Foto: Divulgação

Divulgação
Número de agentes de combate ao mosquito passam de 2 mil para 12 mil

Nos 22 primeiros dias de janeiro, a Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), órgão da Secretaria Municipal da Saúde, registrou nos seis distritos da Subprefeitura Lapa 219 casos de dengue. Os números acompanham a escalada da doença na cidade de São Paulo: nas três primeiras semanas de janeiro foram contabilizados 1.792 casos, contra 443 no mesmo período do ano passado (+ 300%), nos 96 distritos da cidade.

Diante desse quadro, a Covisa, promove neste sábado, 3, o Dia D de combate à dengue em toda a capital. As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão abertas das 8h às 17h para atendimento aos pacientes que apresentarem sintomas da dengue, como febre alta, dores no corpo e articulações, dor atrás dos olhos, mal-estar, falta de apetite, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo. As unidades estão abastecidas com testes rápidos para a doença.

O mutirão também mobiliza agentes comunitários de saúde (ACSs) em ações de controle casa a casa, com bloqueios de criadouros, identificação de pontos de água parada e outros focos de reprodução do mosquito, orientações sobre prevenção e cuidados, inspeção de imóveis especiais e pontos estratégicos, a exemplo de ferros-velhos, oficinas de desmanche de veículos, borracharias, cemitérios, entre outros. Além do mutirão, a Prefeitura aumentou de 2 mil para 12 mil o número de agentes de combate à dengue na capital.

Na região da Subprefeitura Lapa, o distrito com maior número de casos é o da Vila Jagaura (125), seguido da Leopoldina, com 35, Lapa, 26, e Perdizes, 25. No distrito Barra Funda foram diagnosticados 8 casos e no Jaguaré 2. Levando-se em conta o coeficiente de incidência por 100.000 habitantes, o Distrito da Vila Jaguara tem o primeiro maior índice da cidade (534,5), enquanto a Vila Leopoldina aparece em terceiro lugar (76,2).

No informe sobre o Dia D de combate à dengue, a prefeitura informa que entre os principais investimentos no enfrentamento da doença  constam a ampliação da frota de veículos para transporte dos agentes de controle de endemias com incremento de 113 minivans; aquisição de 30 novos equipamentos de nebulização veicular; chamamento de concurso público para contratação de 703 servidores para a Rede Municipal de Vigilância em Saúde; compra de 15 mil litros de inseticida para nebulização (fumacê) contra o mosquito Aedes aegypti e aquisição e distribuição de 20 mil armadilhas de auto disseminação de larvicida em todas as regiões da cidade, com histórico de maior incidência de casos da doença.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA