Crise ameaça Sorocabano

0
569

Um déficit mensal de R$ 250 mil põe em crise o Hospital Sorocabana, uma das poucas opções de atendimento via Sistema Único de Saúde (SUS) na Região Oeste. “Diariamente, damos assistência médica a cerca de 2 mil pessoas. Desse total, 90% são encaminhamento SUS. Acontece que os valores repassados são baixos e chegam com atraso”, afirma o presidente do Sorocabana, Floriano Peixoto Pereira Júnior.
Para tentar reverter a situação, a direção do hospital foi a Brasília onde conseguiu um importante apoio, vindo do deputado federal e presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar. O parlamentar, que desde o ano passado passou a acompanhar a crise do Sorocabana, visitou o complexo hospitalar da Lapa na segunda, 20. Recebido por diretores e funcionários, Izar se comprometeu a intensificar o diálogo com o prefeito José Serra, o governador Geraldo Alckmin e, sobretudo, com o Ministro da Previdência, Nelson Machado. “Vou fazer o possível para sensibilizar o ministro, de modo que ele venha a São Paulo e visite esse hospital, que tem serviços de primeira linha”, afirmou Izar, lembrando que Machado tem raízes lapenas, já que morou no bairro. O deputado lembrou que até meados de março, o Soracabana receberá R$ 200 mil em equipamentos, resultado de uma emenda de sua autoria no Orçamento da União referente a 2005. “Para este ano, conseguimos assegurar outros R$ 200 mil”, confirmou Izar.
Outra forma de conseguir recursos é a campanha do sócio-preferencial, uma espécie de plano de saúde, no qual o interessado paga R$ 200,00 por ano. O associado tem descontos de 50% na internação e outros abatimentos em consultas.
A crise no Sorocabana também bateu às portas da Associação Comercial de São Paulo – Distrital Lapa (ACSP-Lapa). No tradicional encontro mensal “Café com Negócios” promovido pela entidade, Floriano Pereira explicou a situação para um grupo de 60 empresários, a quem pediu a adesão ao plano sócio-preferencial. “Não estamos pedindo muito. A adesão significa um desembolso de apenas R$ 200 por ano. Ou seja, menos de R$ 17 ao mês”, lembrou o presidente do hospital.
Para a conselheira da ACSP-Lapa, Therezinha Penteado de Almeida, a mobilização em torno do Sorocabana tem de ser imediata. “Nós, lapeanos, somos responsáveis pelo hospital. É hora de formarmos uma comissão e trabalharmos na recuperação desse patrimônio”, afirmou.
Quem quiser se associar ao Sorocabana pode visitar suas instalações na Rua Faustolo, 1633. Telefone 3873-0522 (ramais 244 e 272).

COMPARTILHE
Próximo artigoPRESTIGIO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA