Moradora do bairro|é uma voluntária nata

0
982

Foto:

MORADORA DO BAIRRO É UMA VOLUNTÁRIA NATA

Versátil e bem humorada, Dorothy Mendes Barbosa sai de casa (na Avenida Mercedes) sempre muito bem arrumada, parece até que vai para uma festa. Sempre pronta a ajudar quem bate a sua porta, ela é nascida em uma família tradicional de São Roque que chegou à Lapa quando ela tinha 5 anos. “Em São Roque tem um bairro com o nome da minha família, os Mendes”, comenta ela com uma natural simplicidade.
A mulher de batom, salto alto e jóias (ou bijuterias que ela mesma faz) estudou faculdade de pedagogia e dois anos de administração. Ativa e feliz, ela acaba de completar 79 anos (no dia 12 de novembro) e não tem problema em revelar a idade.
Hoje com os cabelos prateados, Dorothy já viu muita coisa acontecer nos 75 anos que mora na Lapa. Entre suas memórias está a época que estudou na região. “O Anhanguera começou em 1940, o Pereira Barreto era onde é o Anhanguera, depois eles trocaram de prédio. Foi lá no colégio que recebi a base do que sou”.
Dorothy foi educada quando a mulher aprendia a fazer de tudo. “Nunca sentei com meu marido na mesa de um restaurante, faço tudo em casa”.
Além das memórias da época de estudante, a “lapeana” (por adoção) destaca sua felicidade com o marido, Cândido Barbosa, com quem foi casada quase 55 anos (falecido há cerca de dois meses) e teve duas filhas. “Fiquei muito triste, perdi meu companheiro. Ele sempre me apoiava em tudo”, diz ela, confirmando a afinidade com o marido.
Nas reuniões do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança da Lapa, do qual faz parte) ela leva sempre um pratinho para que as pessoas saboreie as guloseimas ao final dos encontros.
Entre suas ações voluntárias está a alfabetização de adulto que fez na época em que trabalhou no Instituto de Zootecnia no Parque da Água Branca, deu aula para crianças no projeto da Paróquia D. Bosco e foi uma das fundadoras da Guardinha da Lapa, que atendia meninos carentes. Sua atuação não para.
Ao acordar todos os dias Dorothy conversa com Deus e pede proteção e saúde para todos que conhece e também a quem não conhece, mas sabe que necessita de oração. Caridosa, a moradora da Rua Mercedes é uma voluntária nata que gosta do bairro e das pessoas que nele vive.
Ela é engajada com a política local e esteve na posse do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. “Levei três cartinhas de mães, empregadas domésticas que precisavam que as crianças ficassem em período integral na escolinha. Foi quando o Kassab me chamou de mãe da Lapa. Consegui que as crianças ficassem das 7h às 17h. Foi o dia mais feliz da minha vida”, revela Dorothy.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA