Estudantes de Etecs ocupam Diretoria Regional Centro Oeste

0
2778

Foto: Maria Isabel Coelho

Maria Isabel Coelho
Dirigente conversa com líderes do movimento de ocupação sobre a pauta de reivindicações

Um grupo de estudantes de Etecs ocupou a sede da Diretoria Regional de Ensino Centro Oeste (DRE Centro Oeste) na manhã de quinta-feira, 5, em Perdizes. A DRE Centro-Oeste administra 75 escolas da rede da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, muitas delas na região da Subprefeitura Lapa. Segundo o estudante da ETEC Artes, Ricardo Santos, a ocupação da sede da diretoria ocorreu às 6h de quinta-feira. Os funcionários foram impedidos de entrar para o trabalho. “A ocupação é contra a reorganização escolar do governo, também reivindicamos qualidade na educação e na merenda que praticamente as escolas não têm ou recebem merenda seca, tipo barrinha”, declarou o estudante por cima do muro da Diretoria Regional de Ensino.

O dirigente Regional da DRE-Centro Oeste (em exercício), Nonato Assis de Miranda disse que conversou com o grupo. “Eles questionam sobre a CPI da Merenda. Respondemos que não depende de nós (a instalação) e sim da Assembleia Legislativa e que a investigação está no Ministério Público.

O porta voz da ocupação acusa a secretaria de promover uma reorganização mascarada com fechamento de salas e superlotação em outras. O dirigente afirma que o processo de reorganização está suspenso. “A Secretaria de Educação tem uma orientação muito rígida. Existe um número limite de alunos por classe: anos iniciais 30, anos finais de Ensino Fundamental 35 e Ensino Médio 40 alunos. Embora a resolução nos permita colocar 10% a mais (na sala), nós não seguimos essa orientação, ao contrário, se tínhamos, por exemplo, uma escola com sala de 36 alunos foi dividida em duas salas de 18”, afirma Miranda. “Não fechamos nenhuma sala, se não abrimos mais é porque não temos alunos”, acrescenta o dirigente.

O processo de licitação de cuidadores para alunos deficientes de escolas da DRE-Centro Oeste ficou prejudicado, segundo Miranda. “Existe um processo para fazer licitação para contratação de cuidadores e hoje (quinta-feira, 5) seria a publicação do pregão para as empresas apresentarem as propostas. Infelizmente a gente corre o risco de deixar esses alunos sem cuidadores em decorrência de não fazer o pregão porque o processo está aí dentro (do prédio ocupado)”, conclui Miranda.

Representante da Secretaria disse que a secretaria pediu na Justiça a reintegração de posse do prédio, a exemplo da sede administrativa do Centro Paula Souza desocupado (após uma semana), com força policial, na manhã da sexta-feira.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA