Nabil Bonduki fala sobre potencial da região em Café com Política

0
2077

O vereador Nabil Bonduki (PT) participou do Café com Política realizado na terça-feira (30) pela Página Editora e Jornal da Gente, no Flores na Varanda. O parlamentar está em seu segundo mandato na Câmara Municipal e é candidato à reeleição.

Professor na Faculdade de arquitetura e urbanismo da USP, Nabil defende o investimento em habitação social e mobilidade. Para ele, o Conselho Participativo é importante em uma cidade da dimensão de São Paulo em que existem apenas 55 vereadores para 11 milhões de habitantes. “A diversidade da região se expressa no Conselho Participativo que deve ter comunicação com vereadores”.

Em sua análise, a Lapa e seus bairros vizinhos fazem parte de uma das áreas com mais diversidade da capital. “Eu acho que a subprefeitura da Lapa é a mais parecida com a prefeitura da cidade de São Paulo. Tem comércio movimentado, bairros com pessoas de alta renda, regiões que se assemelham à periferia, bairros industriais. Temos uma diversidade dentro da Lapa que é uma síntese do que temos na cidade”.

Nabil falou do “grande potencial de transformação” da região e destacou a Operação Urbana Água Branca, que visa o desenvolvimento de parte dos bairros da Água Branca, Perdizes e Barra Funda. “Será um processo longo, mas exemplar”.

Para o candidato petista, a questão da permanência ou saída da Ceagesp da Vila Leopoldina e seus impactos sociais e ambientais no bairro deve ter um debate público na região, envolvendo a comunidade local.

Ligado às questões culturais, Nabil foi secretário da Cultura em 2015 e ressaltou a importância do Tendal da Lapa como Centro Cultural. “O desenvolvimento acarreta em uma demanda por cultura. Quanto mais o padrão de vida das pessoas se eleva, mais as demandas aumentam. A população com mais escolaridade, mais renda, quer mais cultura”.

O candidato criticou a falta de integração do transporte que atende a região: “Não tem cabimento o metrô parar na Vila Madalena e não entrar na Lapa efetivamente”. Ao ser questionado pelos moradores e líderes presentes no encontro sobre as ciclovias, Nabil falou da importância de priorizar o transporte coletivo e as opções de mobilidade ativa e integração de modais, com a combinação entre veículos próprios, bicicletas e transporte público. O vereador acredita que em 15 anos o uso das ciclovias se consolidará, assim como o processo de ajustes e reparações. “A opção pela bicicleta virá, as pessoas vão aumentar a utilização do sistema com o tempo”, conclui Nabil.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA