Prefeito quer centro para morador de rua no CDC City

0
5309

Foto: Maria Isabel Coelho

Maria Isabel Coelho
Doria fala em instalar Centro Temporário de Acolhimento ao lado de uma escola infantil

Pelo muro da divisa da Escola Municipal de Educação Infantil Professora Ana Maria Poppovic, o prefeito João Doria fez uma vistoria visual na área do Clube da Comunidade City, o CDC City da Rua Sepetiba, durante sua visita à escola. O CDC está desocupado desde outubro do ano passado – quando a organização social que desenvolvia atividades deixou o local por causa da reintegração de posse pela Prefeitura. Ao vistoriar a área (dia10), Doria manifestou o interesse em transformar o CDC em um Centro Temporário de Acolhimento para moradores de rua.

O tucano tomou conhecimento que a área do CDC foi transferida da Secretaria de Esportes para a da Saúde, no final da gestão de Fernando Haddad, à pedido do presidente da Associação Amigos da Vila Ipojuca, Leonildo Siragna, em 2013, para a instalação da Unidade Básica de Saúde da Vila Ipojuca (que está na Vila Romana, na Rua Catão, fora de seu perímetro de atuação), com base em um abaixo-assinado de moradores, muitos vizinhos descontentes com a perturbação do sossego decorrente das festas promovidas no local.

A UBS fica em um imóvel alugado. A transferência para área pública resultaria em economia da locação. Doria visitou a UBS da Rua Catão no mesmo dia. “Pelo que percebi o volume de público não é muito grande na UBS e aqui (na área do CDC) você aumentaria quatro vezes o tamanho da Unidade. O CTA acolhe pessoas em situação de rua, dá treinamento, gera emprego e coloca essas pessoas no caminho da empregabilidade. E não tem dinheiro para fazer a UBS. Entre ficar parado e ativar atendendo pessoas em situação de rua, talvez seja uma solução melhor”, conclui o prefeito Doria.

Associação quer unidade de saúde

A diretora da CEI Jamir Dagir, Solange de Castro está preocupada com a novidade. “As crianças utilizam a quadra do CDC todas as semanas. Fiquei sabendo que seria uma UBS que manteria a quadra para atividades aos idosos e crianças, mas agora veio a informação que será um abrigo para moradores de rua”, afirma. O presidente da Associação Amigos da Vila Ipojuca é contra o CTA. “A UBS precisa do espaço, a casa que está é muito pequena e a Rua Catão fica longe para os idosos da Vila Ipojuca”, reclama Leonildo Siragna.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA