Sesc Pompeia é palco para manifestações pró e contra filósofa

0
63

Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Rovena Rosa / Agência Brasil
Manifestantes criticam presença de Judith Butler no Brasil e queimam boneca

O Sesc Pompeia, localizado na Rua Clélia, foi palco para duas manifestações relacionadas a presença de Judith Butler no local na terça-feira (7). A filósofa participou do seminário “Os Fins da Democracia”, organizado pela Universidade de São Paulo em conjunto com a Universidade da Califórnia, em Berkeley, onde ela leciona. O encontro tinha como objetivo discutir os desafios da democracia liberal e suas formas institucionais básicas. Butler falou sobre a importância do diálogo para refutar as possibilidades do autoritarismo. Porém, foram os estudos de gênero da professora que motivaram os protestos. Em seus trabalhos ela questiona o aspecto binário (masculino e feminino) de gênero e a ideia de que ele seja biológico, ao invés de culturamente construído.

Cerca de 100 manifestantes apoiaram a presença de Butler, com cartazes que defendiam a liberdade de expressão e pediam “mais amor e menos ódio”. Do outro lado, um grupo levemente menor pedia o cancelamento da palestra, com críticas ao que chamam de “ideologia de gênero” e cartazes com dizeres como “#XôJudith” e “Meus filhos, minhas regras”. Com cruzes, bíblias e bandeiras do Brasil, os conservadores bradavam que a filósofa representa um conceito que ameaça os valores da família tradicional e confunde a cabeça das crianças. Os manifestantes chegaram a queimar bonecos, um deles caracterizado como uma bruxa com o rosto de Butler, e também do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do banqueiro George Soros.

Erika Mayumi / Divulgação
Judith Butler participou do seminário “Os Fins da Democracia”, organizado pela Universidade de São Paulo em conjunto com a Universidade da Califórnia, em Berkeley, onde ela leciona

O conflito foi iniciado semanas antes na internet, com uma petição que pedia o cancelamento do evento e que contou com mais de 360 mil assinaturas. Grupos também discutiram o caso nas mídias sociais. A filósofa já esteve no Brasil, em setembro de 2015, quando participou de um evento no Sesc Vila Mariana. Na época, ela também se deparou com um protesto contrário ao seus estudos, mas que contou com cerca de dez pessoas.

Diante da tensão, a Polícia Militar teve que separar os grupos com uma fita e fechar a Rua Clélia para os carros. Sem maiores conflitos, as manifestações se encerraram por volta do meio-dia. Um dos manifestantes contrário à Butler foi multado por ter parado seu carro na calçada, com uma grande caixa de som. Em sua apresentação, Butler agradeceu ao Sesc Pompeia por não ter cancelado a conferência em que ela participou. O Sesc Pompeia, através da sua assessoria de imprensa, informou que não se manifestaria sobre o caso.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA