Posto da região tem grande procura para vacina contra febre amarela

0
269

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Espera na fila para vacina na UBS Parque da Lapa pode chegar a duas horas

Mesmo fora de uma área de risco, a comunidade lapeana demonstra preocupação com a febre amarela. Quem passa pela UBS Parque da Lapa encontra uma grande fila de pessoas no posto da Vila Leopoldina, uma das unidades de referência da Coordenadoria Regional de Saúde Oeste para se imunizar contra a febre amarela. Os relatos são de que a espera para se vacinar é em média de duas horas.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ressalta que, neste momento, a campanha de vacinação tem como público-alvo na Zona Oeste apenas os moradores do distrito Raposo Tavares. Afirma também que o município tem registrado aumento da demanda pela vacina em unidades de referência para quem vai viajar para área de risco da doença, mas que não integram a campanha de vacinação, como é o caso da UBS Parque da Lapa, que entre os dias 2 e 11 deste mês já vacinou 3.139 pessoas, sendo que em todo o mês de janeiro do ano passado foram aplicadas 403 doses. A SMS declara que, para aqueles que não moram ou não trabalham em regiões com recomendação de vacinação, a orientação é procurar as unidades apenas em casos de viagem para áreas de risco.

A febre amarela pode se manifestar com febre alta, calafrios, cansaço, dores no corpo, náuseas, e possui dois ciclos distintos de transmissão, silvestre e urbano. No silvestre, os primatas não humanos, como os macacos, são os principais hospedeiros e os vetores são mosquitos com hábitos silvestres. Nesse ciclo, o homem participa como um hospedeiro acidental ao ter contato com áreas onde os mosquitos habitam. Já no urbano, a transmissão ocorre a partir dos mosquitos Aedes aegypti, mesmo da dengue, que picam os humanos.

A SMS afirma que não há, na capital, nenhum caso humano de febre amarela silvestre ou urbana confirmado que tenha sido adquirido no próprio município de São Paulo. O surto identificado no ano passado foi o maior desde 1980 no País, sendo que entre dezembro de 2016 e junho de 2017, foram confirmados 777 casos e 261 mortes.

Na terça-feira (9) o Ministério da Saúde anunciou que municípios dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia irão realizar a campanha de vacinação com doses fracionadas. A estratégia de fracionamento é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) quando há aumento de epizootias e casos de febre amarela silvestre de forma intensa, com risco de expansão da doença. O Ministério também afirma que o fracionamento da vacina é seguro e protege por oito anos, segundo estudos realizados pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos/Fiocruz). A Secretaria Municipal de Saúde afirma que a partir de 3 de fevereiro, terá início a vacinação fracionada contra a febre amarela em 15 distritos das zonas Leste e Sul.

A imunização é contraindicada para gestantes, mulheres que estão amamentando bebês menores de 6 meses e para pacientes que fazem quimioterapia, radioterapia e tomam corticoides em doses elevadas. Quem for da região e quiser se vacinar deve levar um documento de identificação, carteira de vacinação e cartão SUS. Quem não levar o cartão do SUS deverá realizar o cadastro antes de se vacinar. Na UBS Parque da Lapa o atendimento é realizado de segunda à sexta-feira, das 7h às 19h, e o posto está localizado na Rua Bergson, 52. Outra opção também na região é a UBS Integrada Vila Nova Jaguaré, que funciona de segunda a sexta, das 7h às 18h, e aos sábados, das 7h às 16h, na Rua Salatiel de Campos, 222.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA