Zerbini apresenta trajetória política na ATST

0
295

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Cleusa Ramos, Marcos Zerbini e Fábio Riva conversam com convidados

O deputado estadual Marcos Zerbini, candidato à reeleição, participou de uma conversa na sede da Associação dos Trabalhadores Sem Terra (ATST), na Lapa de Baixo, na terça-feira (25) ao lado de sua esposa e presidente da associação, Cleusa Ramos, e do vereador Fábio Riva. O Secretário Municipal da Habitação, Fernando Chucre, e a prefeita regional de Perus, Luciana Ferreira, também estiveram presentes.

Zerbini contou que seu envolvimento com a política foi uma consequência do trabalho social que realizou junto à Pastoral a Juventude, que o colocou em contato com movimentos de moradia na zona leste da cidade. “Nunca pensei em ser político, isso foi uma consequência do trabalho que a gente fazia. Política só faz sentido se for utilizada para servir as pessoas, para o bem coletivo. Quero usar o mandato para mudar e ajudar a construir a vida das pessoas”, diz.  Ele também destaca o trabalho da ATST como complemento de seu trabalho legislativo. “A associação fez a gente conhecer pessoas, compreender dores, angústias e conhecer a realidade”, completa.

O candidato também falou das dificuldades na área da saúde, com a tabela SUS que não é alterada há 12 anos. Ele afirma que enviou emendas parlamentares para auxiliar as Santas Casas das cidades de Novo Horizonte e Guararapes para evitar que as unidades fechassem.

Sobre o panorama político, Zerbini falou da necessidade da boa administração de recursos públicos e da promoção do diálogo.  “A corrupção que tivemos no País foi grave, mas o grande problema que a gente teve foi a administração errada, controlando a economia de forma indevida. Isso quebrou a Petrobras, a Eletrobras. Precisamos de um governo que coloque o país nos trilhos. Não é colocando uma quadrilha de novo no governo que vai resolver. Também precisamos de uma política e administração sérias, não com violência, com alguém que prega que bandidos devem morrer. Precisa dialogar”, diz. “Eu acredito muito no Brasil”, finaliza Zerbini.

Cleusa elogia as atitudes do marido como dispensar o carro funcional e utilizar pouco a verba do gabinete. “Diferente de muitas pessoas eu amo a política, mas entendi que meu papel é ser presidente da associação e posso fazer mais aqui. O mandato do Marcos tem sido uma ferramenta para a associação, para essa bandeira que a gente levantou 40 anos atrás”, relata. Riva falou da importância da associação para ajudar as pessoas a se tornarem protagonistas da própria história, com moradia, educação e qualificação para o mercado de trabalho.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA