Usuários criticam mudança de gestão de UBS na Câmara

0
2630

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Usuários pedem administração direta

Moradores da região e usuários da UBS Jardim Vera Cruz estiveram na Câmara Municipal na quarta-feira (7), durante a reunião da Comissão de Saúde, Promoção Social, Trabalho e Mulher.

Com o anúncio de que a Secretaria Municipal da Saúde passaria a gestão da UBS para uma OS (Organização Social), os usuários temem que a mudança prejudique a qualidade dos atendimentos e cause a descontinuidade dos trabalhos desenvolvidos na unidade para a promoção da saúde e dos grupos de voluntários.

O conselho gestor da UBS entregou uma carta aos vereadores pedindo que o equipamento continue sendo da administração direta. “Fomos surpreendidos pela notícia de que seremos uma OS. São realizados 500 atendimentos por dia na UBS e temos 14 grupos de acompanhamento de nossos idosos. Fomos conversar na coordenadoria e não souberam nos responder o que justificaria essa mudança”, afirma a conselheira Nilce Nadeu. Com o quadro de médicos, enfermeiros, psicólogos e agentes de saúde completo, a única necessidade da UBS é de funcionários administrativos, os AGPPs. “Pedimos quatro funcionários e colocaram uma OS na calada da noite”, afirma a conselheira Maria Isméria Nogueira, sobre o fato do conselho gestor não ter sido comunicado da mudança antes da publicação no Diário Oficial do Município. Uma comissão do conselho gestor esteve na Secretaria Municipal da Saúde para conversar com o secretário Edson Aparecido. Segundo os conselheiros, o secretário falou que iria reavaliar os dados de produtividade da UBS e estudar se é justificável reverter a mudança.

O vereador Gilberto Natalini criticou a falta de comunicação da Prefeitura. “Sei que essa UBS funciona bem porque nenhum usuário veio aqui antes reclamar. Mas é um pecado mortal mudar a gestão sem conversar com o conselho gestor, isso é inadmissível”, declara Natalini. O vereador Celso Giannazi (PSOL) defendeu que o equipamento continuasse na administração direta. “É uma unidade que funciona perfeitamente bem, que tem um trabalho envolvente com a comunidade. Por isso ninguém concorda que a UBS passe a ser uma OS”, afirmou.

Questionada pelo JG sobre quais os critérios que levaram à mudança de gestão na UBS, a Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) Oeste enviou uma nota dizendo que todos os servidores irão continuar trabalhando e realizando suas atividades normalmente na unidade, com os direitos garantidos. Afirma ainda que “a unidade passa a ser administrada pela organização social Associação Saúde da Família com o objetivo de fortalecer os processos de trabalho e melhorar o atendimento da população” e que “com a inclusão no termo aditivo de um gerente e seis auxiliares administrativos da OS, isso possibilitará o melhor acolhimento dos usuários e a sistematização dos dados”. Por fim, a nota afirma que no dia 18 de julho foi realizada uma reunião na UBS com a presença de todos os funcionários da unidade, representantes da CRS Oeste e sindicatos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA