Coletivos fazem campanha para reabertura do Sorocabana

0
490

Foto: Pompeia Sem Medo/Divulgação

Pompeia Sem Medo/Divulgação
Projeções na entrada do hospital pedem inclusão do equipamento para conter pandemia

Em tempos de isolamento social, a luta pela reabertura do Hospital Sorocabana ganhou força nas mídias sociais. Coletivos como o Pompeia Sem Medo e o Comitê de Defesa do Hospital Sorocabana tem publicado postagens com a hashtag #ReabreSorocabanaJá pedindo que os governos municipal e estadual ativem os andares desocupados do hospital de forma que ele possa ser incluído nos planos de contingência do coronavírus.

A campanha conta com publicações de personalidades como a cantora e compositora Luedji Luna, políticos como Sâmia Bomfim, Celso Giannazi, Carlos Giannazi, Juliana Cardoso, Guilherme Boulos, Beth Sahão e Luiza Erundina, além de moradores da região.

O Conselho Participativo Municipal da Lapa, que enviou um ofício cobrando a Prefeitura pela reabertura do Sorocabana, recebeu uma resposta da Autarquia Hospitalar Municipal no dia 31 de março. O documento aponta que a ativação do hospital para uso no enfrentamento à pandemia é inviável, considerando que a estrutura predial encontra-se danificada, sem atender requisitos da Anvisa. Afirma ainda que a recuperação da área física do hospital, realizada em consonância com a legislação sanitária, levaria meses, tempo que não é compatível com o cenário epidemiológico atual. Ao final do documento a Autarquia Hospitalar Municipal declara que a reativação do Sorocabana “é demanda legítima da população da Lapa e região, entretanto, para o enfrentamento da Covid-19, não é uma opção tecnicamente viável”.

Parte dos conselheiros e representantes de coletivos consideram frágil a questão do prazo alegado como insuficiente para fazer a reforma, uma vez que não se sabe ainda quanto tempo a crise da Covid-19 irá durar. Também defendem que qualquer investimento que for feito no hospital ficará de legado para a saúde da cidade, enquanto os hospitais de campanha, como o do Pacaembu e Anhembi, serão desmontados com o fim da pandemia.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA