Pompeia ganha livraria focada no público infantil

0
403

Foto: Divulgação

Divulgação
Livros contam com curadoria especial e valorização das capas na disposição

Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas”. Essa frase do Mario Quintana pode parecer óbvia, mas é justamente ao abordar de forma simples aquilo que é verdadeiro que se encontra o talento. É possível gastar incontáveis parágrafos falando da importância dos livros tanto para a educação como para o lazer, para estimular o lúdico, para permitir o contato com infinitos universos reais e imaginários. Em tempos onde há tanto estímulo visual, muitos sem profundidade e visando apenas o entretenimento, os livros são uma forma de resistência. Muito necessária.

Motivado pelo nobre propósito de despertar a paixão pela literatura nos pequenos, o jornalista e morador da região Alfredo Caseiro criou a livraria Pé de Livro, na Pompeia, focada em obras infantis. Enquanto grandes redes fecham suas portas, muitas por não conseguirem competir com as lojas virtuais, vemos livrarias de nicho surgindo, caso da Gato Sem Rabo na Vila Buarque, focada em livros escritos por mulheres, e a própria Pé de Livro.

Com uma carreira de mais de 25 anos na comunicação, sendo os últimos seis anos em uma agência, Alfredo Caseiro de 53 anos começou a montar seu plano de negócio para a livraria e a escolha por esse segmento se deu justamente pela importância que os livros tiveram na sua infância. Foi sua tia que introduziu alguns clássicos em sua vida, como os de Monteiro Lobato, que o estimularam a escrever suas próprias histórias e a escolher uma carreira na área da escrita.

Divulgação
O jornalista Alfredo Caseiro

O imóvel pode ter apenas 50 m², mas reúne um verdadeiro universo de narrativas. “Tenho dois filhos, uma menina de 18 anos e um menino de 8 e sempre os levei em livrarias. Sentia falta de um olhar mais apurado nas sessões infantis, que embora ofereçam títulos interessantes não tinham essa curadoria específica. Fiquei meses só selecionando livros. Temos mais de 90 editoras de livros infantis que oferecem conteúdos muito relevantes, mas acabam focando nas publicações que fazem sucesso. Quis trazer essas obras para cá, livros que não são comuns em outros lugares. Temos também a questão da exposição dos livros, sendo que em muitas livrarias só é possível ver as lombadas. Temos ilustradores maravilhosos no Brasil e isso precisa ser explorado. Por isso na Pé de Livro colocamos a disposição dos livros de forma a mostrar as capas”, explica Alfredo Caseiro.

A escolha pela Pompeia foi motivada pela proximidade de sua casa, experiência que o jornalista só teve entre os anos de 1997 e 1998 quando morou no Japão, e Alfredo quis novamente ter a qualidade de vida de poder trabalhar em um local onde é possível ir a pé. “Na Rua Tucuna tem um salão infantil onde meu filho corta o cabelo há anos. Estávamos lá quando vi a placa indicando que esse espaço estava disponível”, conta.

E se engana quem pensa que o gosto pelo impresso é algo que está em declínio. Foram matérias nos dois jornais de maior circulação de São Paulo que agitaram os dias da Pé de Livro em seu pouco mais de um mês de inauguração. Clientes vieram até de bairros distantes, como Santo Amaro, para conhecer o espaço. E sem investimento em mídia, o perfil da Pé de Livro no Instagram (@pedelivro.livrariainfantil) já reúne cerca de 12 mil seguidores.

A livraria familiar tem planos para receber eventos como contação de histórias e oficinas. Já estão previstas ações para o Dia das Crianças e para o Dia do Saci, nossa versão do Halloween que celebra o folclore brasileiro.

O negócio traz uma luz e inspiração sobre o que mais precisamos: cultura e conhecimento. “Sobretudo no momento que a gente vive como país e em todo o mundo, com o sucateamento da educação e da cultura, esse é um movimento de resistência. O livro é um componente muito poderoso, que não perde seu poder de sedução mesmo com as telas. A criatividade e estímulo lúdico que ele propicia nada supera. A gente precisa dessa resistência nesse mundo negacionista e retrógrado”, finaliza Alfredo.

Quem quiser conhecer a Pé de Livro pode ir até lá de terça-feira a sábado, das 10h às 19h, na Rua Tucuna, 298.

Divulgação
Livraria tem planos para receber eventos como contação de histórias

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA