Fim do Olympia afeta a Clélia

0
5348

Foto:

Imóvel que abrigou a casa de show tem futuro indefinido

Quando as luzes do show de Bruno e Marrone se apagaram no início de abril, a casa de espetáculos Olympia encerrou suas atividades na Rua Clélia. Quem passa pela esquina com a Rua Aurélia, nota a ausência do letreiro que anunciou a programação da casa durante 18 anos.
Nos últimos dias de funcionamento, quando eram vendidas as entradas para show da dupla, o clima entre os funcionários era de tristeza. Todos estavam em contagem regressiva, por que temiam ficar sem o emprego. Sem alarde, a bilheteria foi desmontada, a mobília retirada e a casa desativada.
Segundo a assessoria de imprensa do Grupo Olympia, os proprietários ainda não informaram qual será o novo endereço da casa de shows. A assessoria garante ainda que o Olympia continua, agora é só aguardar onde as apresentações vão continuar.
Ponto de referência para muitos negócios, a casa de shows Olympia impulsionou a economia do bairro, principalmente da sua vizinhança, na Rua Clélia, durante quase duas décadas. Com o seu fechamento, muitos comerciantes já sentem os prejuízos. O movimento no comércio caiu e o prejuízo fez um estacionamento fechar e outros contabilizam redução nos negócios. O caixa de um grande estacionamento da rua Aurélia, Odair Fábio lamenta a saída do Olympia. “Houve uma queda de até 80% no movimento”, afirma ele. Outro estacionamento que se instalou a cerca de seis meses, na mesma rua, também sente os prejuízos causados pela saída da casa de shows. “A queda no movimento foi de cerca de 40% e dois funcionários foram transferidos”, relata Reinaldo José de Souza.
A loja Habib’s, localizada em frente ao prédio onde era o Olympia, teve que dispensar funcionários. O supervisor da loja, Josias Pontes, disse que pelo menos três demissões foram feitas em conseqüência do fechamento do vizinho. “Agora a gente fica só com os clientes da loja”, desconversa o funcionário, que tinha a casa lotada nos dias de shows e eventos realizados pelo Olympia.

Desemprego

De acordo com os comerciantes, cerca de 200 vagas de empregos deixaram de existir. Pelo menos cem empregos diretos e cem indiretos foram perdidos por conta da disputa comercial entre os proprietários, do Olympia e do imóvel da rua Clélia onde a casa estava instalada.
Para os comerciantes, a falta de um acordo entre eles, quanto ao valor do imóvel, deixou prejuízos para os comerciantes e também para o bairro, que ficou conhecido nacional e internacionalmente por causa da casa de shows.

Destino incerto

Sem saber como ficarão os negócios, a expectativa dos comerciantes está no destino que será dado ao prédio da Rua Clélia. Mas, assim como o Olympia, a nova ocupação do imóvel que abrigou a extinta casa de shows, ainda é uma incógnita.
O proprietário do prédio, Sérgio Cauby Novaes, informou que está recebendo propostas. Sobre a especulação que o local seria ocupado por uma igreja, ele disse que nada está definido. “Ainda estou ouvindo propostas. Tanto poderá ser outra casa de espetáculos quanto uma igreja…”, disse Novaes.
Questionado se o local será vendido ou locado, ele respondeu que prefere vender, mas não quis revelar o valor desejado para a transação comercial.

COMPARTILHE
Próximo artigoPRESTIGIO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA