Morador faleceu após audiência do transbordo

0
1369

Foto:

Autoridades, técnicos e moradores compareceram à audiência no Sest Senat

Cerca de 150 pessoas compareceram no auditório do Sest – Senat da Avenida Cândido Portinari para a Audiência Pública (AP) sobre a Estação de Transbordo da Vila Jaguara, realizada na quinta-feira, 1º de outubro. Com o objetivo de debater o licenciamento, a Cetesb mediou o debate que teve a participação da Concessionária Loga (empresa responsável pela administração do projeto), dos vereadores Laércio Benko e Eliseu Gabriel, ativistas e moradores da região. Estudos demonstraram os impactos que a área sofrerá.

 
De acordo com o diretor de Operações da Loga, Édson Stek, havia contaminação no local e para fazer a limpeza orgânica gastou-se bastante. “Foi em torno de oito milhões de reais. A cada mês recebemos monitoramento da Cetesb/Consema: existe até uma creche próxima dali e que não teve problema nenhum”. Ele comentou também que há um estudo para abrir a terceira central de reciclagem da cidade, que será operada por coorperativa. Além disso, a empresa quer criar um conselho de moradores para atuar em conjunto no monitoramento.

 
Opiniões – O líder comunitário Amorim Pereira diz que a população prefere que o local tenha outro destino. “Viemos dialogar para mudar a classificação do terreno de industrial para habitacional, direcionado para famílias de baixa renda”, explicou. Para Édson Domingues, morador e ativista, a reunião foi protocolar. Segundo ele, o paralelo feito com a estação da Ponte Pequena não vale porque a já existente, “não funciona conforme a apresentação da concessionária. Há vários problemas ambientais, sim.”

 
O vereador Laércio Benko protestou por causa do horário da audiência (17h) porque muitos moradores ainda estariam trabalhando. Salientou que pedirá a anulação na Justiça da AP da estação porque acontece, em toda a cidade de São Paulo, outras consultas públicas sobre a Lei de Zoneamento. Ele explicou que a área pode ser transformada em uma ZEIS (Zona Especial de Interesse Social) – depende apenas dos 55 vereadores da Câmara Municipal.

 
Já o vereador Eliseu Gabriel ratificou que a cidade de São Paulo gera cerca de 15 mil toneladas/dia de lixo. Para ele, a política mais acertada seria a de coleta seletiva, e não a de construção de estação de transbordo. “Haverá desvalorização dos imóveis do entorno”, assegurou. Antônio Carlos Lapa, que morava em frente ao terreno da futura estação, passou mal, durante o evento, foi socorrido e faleceu em Pronto Socorro da região. Nesta segunda, 5, ocorre uma AP do Projeto de Lei 272/2015 (Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo), no CEU Butantã.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA