Consultoria realiza laudo sobre modelo econômico do PIU

0
1125

Foto: Reprodução

Reprodução
Área institucional do PIU Leopoldina

A pedido do movimento Vila Leopoldina para Todos, a consultoria APSIS elaborou um laudo para avaliar a atual modelagem econômico-financeira do Projeto de Intervenção Urbana (PIU) Vila Leopoldina/Villa-Lobos, assim como a avaliação do valor do terreno da SPTrans localizado na Avenida Imperatriz Leopoldina, onde está prevista a construção de parte das habitações de interesse social (HIS) do projeto.

O relatório aponta que, excetuando projetos com atraso, os prazos médios históricos para a execução de obras de edificações de interesse social como por exemplo as da Cohab, CDHU e Minha Casa Minha Vida são de 24 meses. Avaliando as intervenções previstas no projeto da Vila Leopoldina, a consultoria aponta como possível o prazo de 10 anos para a finalização das obras, ao invés dos 26 anos apresentados no estudo da Prefeitura.

Sobre o terreno da SPTrans na Avenida Imperatriz Leopoldina, que possui cerca de 30 mil m², a análise da APSIS indica que a área, mesmo sendo uma ZEIS (Zona Especial de Interesse Social) deveria estar avaliada em R$ 304 milhões, ao invés dos R$ 72 milhões que estão em discussão no projeto.

As conclusões do estudo direcionam para o entendimento já discutido por grupos como a Associação Viva Leopoldina (AVL) e Vila Leopoldina para Todos que defendem que o projeto, no formato em que está, implica em grande renúncia de recursos aos cofres públicos, ainda mais considerando os ganhos que a iniciativa privada, responsável pela concretização do PIU, terá com a aquisição de potencial construtivo. “O laudo da APSIS representa um avanço técnico no entendimento da modelagem econômica, levando em consideração três variáveis: o prazo total, o valor real do terreno da SPTrans e a taxa de desconto, acima do que o mercado pratica, revelando um prejuízo estratosférico aos cofres públicos de cerca de R$ 522 milhões, o que daria para construir uma quantidade muito maior de moradias sociais e outros equipamentos para as famílias”, afirma Carlos Alexandre de Oliveira, Diretor de Relações de Governo da AVL.

A Câmara sinalizou que iria discutir o PIU Leopoldina no final de 2020, mas isso não ocorreu. O projeto de lei já está com os vereadores e aguarda ser incluído na pauta. Quem quiser conferir o estudo da APSIS, o Vila Leopoldina Para Todos disponibilizou o material em sua página do Facebook (www.facebook.com/vilaleopoldinaparatodos).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA