Eventos após o revés

0
561

Nessa turbulência que tem sido a vida na pandemia, chegou um momento que era aguardado. O “primeiro” evento oficial, organizado pelo Governo, será realizado aqui na nossa região, no Memorial da América Latina. Primeiro entre aspas porque na verdade os eventos nunca pararam. Notícias de festas clandestinas e aglomerações fizeram parte do cotidiano. E esse evento teste pode ser entendido como teste no sentido científico da palavra, já que os participantes serão testados antes e após sua realização, uma forma de fazer o acompanhamento da segurança epidemiológica e determinar se realmente os eventos podem voltar.

Essa retomada não diz respeito apenas a celebrar o lazer ou interagir com outras pessoas. Uma pesquisa realizada pela SPTuris em parceria com o Observatório de Turismo e Eventos, aponta que 89% do comércio no setor da economia criativa na cidade é composto por feiras fixas ou itinerantes. Isso inclui segmentos como a moda, artesanato, arte, design e gastronomia. Adaptar seu negócio para a internet serviu como uma muleta para muitos empreendedores, mas nem de longe foi a solução. Resta saber qual vai ser a aceitação para retornar aos eventos. O impacto psicológico da pandemia, que já é sintomático, ainda vai revelar muitas consequências. Muitas pessoas vão demorar muito, se é que vão voltar algum dia, a se sentirem confortáveis em lugares cheios. Outras nunca se incomodaram mesmo quando tínhamos mais de mil mortes por dia e quase nenhum leito disponível.

Foi também nessa semana que anunciaram o fim das limitações de horário e capacidade de público. Mesmo se o afrouxamento da medidas de restrição não tivesse ocorrido na terça-feira (17), quem mora perto do Allianz Parque, assim como os agentes de segurança e órgãos públicos, já sabia o que isso significaria em dia de jogo. As aglomerações em partidas importantes nunca deixaram de ocorrer e nos fazem pensar no desequilíbrio de empenho dos responsáveis pela cidade ou entorno. Ignora-se uma circunstância irregular óbvia, mas não aliviam para o estabelecimento que, na tentativa de manter sua folha de pagamento, fornecedores e contas pagas, atendeu fora do horário, abriu quando a ordem era de fechamento total ou excedeu um pouco o público. São questionáveis os pesos e medidas diferentes que são usados na hora de aplicar uma multa. Para os torcedores que têm sim o direito de sentir paixão pelo seu time, só podemos falar que é egoísmo ter ignorado as orientações de segurança sanitária. Viver sua paixão de forma racional é possível, mas não é frequente.

A vacinação avança, os eventos voltam, as restrições diminuem. Talvez finalmente dê para ver alguma luz indicando a saída dessa toca de coelho que entramos. Talvez.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA