Tiradentes está enterrado na Leopoldina, diz site do Grupo Maya

0
871

Interessado em fazer um tour pelo Cemitério da Lapa nesta época de Finados? Se antes do passeio você for buscar informações sobre curiosidades do local no site do Grupo Maya, empresa que desde julho detém a concessão do cemitério, vai se surpreender com a informação de que o mártir da Inconfidência Mineira, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, está enterrado lá.

“O Cemitério Lapa é um lugar de grande importância para a história da cidade de São Paulo. Há tumbas de grandes personalidades, como Joaquim da Silva Xavier, o famoso Tiradentes “, diz o texto sobre a história do cemitério que consta na página WEB da concessionária. Segundo versões de historiadores, no entanto, os restos mortais de Tiradentes estariam enterrados na antiga Capela de Sant’Anna de Sebolas, no distrito de Paraíba do Sul (RJ).

O que o site da concessionária não conta é que o Cemitério da Lapa abriga um belo memorial que homenageia líderes comunitários da região, além de personalidades importantes da história do Brasil, como o sertanista Orlando Villas Boas, e da cultura popular, como o cantor sertanejo Tião Carreiro.

Batizado de Memorial do Consabs, o jardim honra o nome de lapeanos que plantaram as sementes do forte associativismo local, entre eles Carlo Zuanella, Ivo Bento Garcia, Jessé de Souza Santos, Décio Ferreira, Rinaldo Rivetti e Nelson Donadio. “O Memorial das Sociedades Amigos de Bairro é um ponto de destaque do cemitério, idealizado pelo nosso saudoso José Benedito Morelli, o Boneli, que com seu jeito especial percorreu várias instâncias governamentais para conseguir recursos para a construção do espaço e, assim, manter vivo o legado dos personagens que ajudaram a construir a história da nossa região”, lembra o presidente do Consab’s. Zenon Alves. “Hoje, o próprio Boneli tem lugar de destaque no memorial”.

Ele também cita a capela, reformada no ano passado, como outro ponto de destaque do cemitério. “Esperamos quase 40 anos pela reforma, mas valeu a pena. Ela é, agora, o xodó dos lapeanos”, diz Alves. As benfeitorias na capelinha incluíram nova iluminação, com fiação subterrânea, e a criação de uma sala que serve de base para os agentes da Guarda Civil Metropolitana que fazem rondas no local. “O recurso de cerca de R$ 320 mil para a obra foi disponibilizado pelo vereador Isac Félix, através da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal, e o Consab’s Lapa conseguiu arrecadar materiais que foram utilizados na reforma, realizada pela Prefeitura”, explica o presidente do Consab’s.

A fundação do Cemitério da Lapa data de 1918. Naquela época, a cidade sofria com uma epidemia de gripe espanhola, que matou 14 mil pessoas só na capital. Sem mais lugar para enterrar os mortos, foi necessário que a Prefeitura cedesse um espaço para a construção de um novo cemitério. O terreno onde se localiza o cemitério, de mais de 50 mil metros quadrados, abrigava um vasto pomar de goiabeiras, motivo pelo qual ele ficou conhecido, também, como o Cemitério das Goiabeiras.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA