Memorial da América Latina teve três revezamentos da tocha

0
1694

Foto: Tiago Gonçalves

Tiago Gonçalves
Ex-atleta de salto triplo Jadel Gregorio recebeu a chama olímpica no Memorial

O Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016 passou pela cidade no domingo (24). São Paulo foi a última capital que recebeu a tocha antes do Rio de Janeiro, cidade-sede dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

O revezamento começou no Parque da Independência, em frente ao Museu do Ipiranga e seguiu um percurso de 51 km. Foram cerca de 260 condutores de diferentes origens, profissões e histórias – mostrando um retrato da diversidade brasileira.

A tocha Olímpica passou por importantes cartões postais da cidade como o Theatro Municipal, o Marco Zero da Praça da Sé, a Avenida Paulista, o Parque do Ibirapuera, o Estádio do Pacaembu, o Mercado Municipal e o Memorial da América Latina.

Pela região da Subprefeitura Lapa teve revezamentos na região da Avenida Sumaré com a participação do cartunista, ilustrador e roteirista Laerte, do escritor de romances e peças de teatro Marcelo Rubens Paiva, do educador físico, ex-segurança e ex-pugilista Nilson José Garrido e da apresentadora Sabrina Sato (na Praça Ana Maria Poppovic).

Foram três revezamentos no Memorial da América Latina: na Mão, na passarela e outro em frente à Secretaria da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo. O primeiro revezamento teve a participação de Márcio Berti – fundador do Instituto Chefs Especiais, gastronomia inclusiva para Pessoas Síndrome de Down – na Mão do Memorial e o secretário-adjunto de Esporte e Juventude e recordista sul-americano de salto triplo, Jadel Gregorio recebeu a chama olímpica no último revezamento do complexo do Memorial, em frente à Secretaria da Pessoa com Deficiência, na noite de domingo. “Logo após encerrar minha carreira como atleta, tenho a honra de entrar para a história da primeira Olimpíada disputada no Brasil”, disse Jadel.

A moradora da Barra Funda, Arlete Aquino levou a família para acompanhar a passagem da tocha olímpica no Memorial. “Esse é um evento importantíssimo para o Brasil, fiquei extremamente emocionada. Com tudo isso que a gente está passado (crise política e econômica), é normal alguma crítica, mas é um evento lindo que a gente tem que vivenciar. Os nossos atletas merecem essa festa”.

Ao deixar o Memorial, a tocha seguiu para o Sambódromo do Anhembi onde aconteceu o acendimento da pira por três craques do passado: Rivellino representando o Corinthians, Ademir da Guia, o Palmeiras, e Zetti, o São Paulo, seguido de show de Ludmilla e Luan Santana. A abertura das Olimpíadas no Rio será no dia 5 de agosto.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA