Reunião sobre Sorocabana na Câmara é adiada

0
187

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Coletivos levam faixas para reunião que teria participação do secretário da Saúde

Edson Aparecido, secretário municipal da Saúde, que participaria da reunião ordinária da Comissão de Saúde da Câmara, na quarta-feira (12), não pode comparecer ao encontro por motivos de agenda. Está prevista a sua participação na reunião da próxima semana, no dia 19, às 13h.

Mesmo sem o secretário, os vereadores mantiveram a discussão sobre a reabertura do Hospital Sorocabana. Participaram os parlamentares Gilberto Natalini, Juliana Cardoso, Amauri Silva, Sâmia Bomfim, Luiz Paschoal e Fábio Riva.

Representantes de coletivos e do Conselho Participativo Municipal da Lapa tiveram a oportunidade de se manifestar na reunião, onde pediram a reabertura imediata do hospital em um formato de administração direta, voltado para atendimento integral do SUS, e apontaram os malefícios da terceirização dos serviços de saúde para a população. “Não é uma demanda bairrista. O Sorocabana é um hospital de referência para toda a Zona Oeste”, afirma Antônio Zagato, atual coordenador do CPM da Lapa.

Natalini falou das tratativas para a reabertura entre 2011 e 2012, com a elaboração de um projeto de reforma de cerca de R$ 56 milhões que seriam divididos entre Estado e Município. Segundo o vereador, com a mudança de gestão naquela época, a negociação não foi levada adiante. “Nesse meio tempo veio essa ideia estapafúrdia de buscar dinheiro na iniciativa privada”, diz Natalini, em relação à Manifestação de Interesse Privado apresentada pelo então secretário da Saúde, Wilson Pollara, e de Desestatizações e Parcerias, Wilson Poit, nas Faculdades Integradas Rio Branco, em maio deste ano. O parlamentar também citou a problemática do que chamou de “tentativa de asfixiar o SUS”, abrindo espaço para planos de saúde populares, com consultas baratas e exames caros, que impossibilitam os pacientes de dar prosseguimento aos tratamentos. Sâmia Bomfim citou também a gestão problemática das Organizações Sociais de Saúde.

Fábio Riva falou da importância de se resolver as pendências jurídicas e passar de fato a propriedade do equipamento para à Prefeitura. “O hospital precisa ser liberado para receber investimentos. Precisa de segurança tanto para o Estado como para o Município. Seja no modelo que for, precisa funcionar”, diz.

Comunidade
O CPM Lapa realizou uma reunião extraordinária no dia 1º para debater a situação da saúde na região e o Hospital Sorocabana. O coletivo Lapa Sem Medo entregou um ofício aos vereadores na reunião da Comissão de Saúde pedindo que a Casa Legislativa inclua na votação do orçamento uma rubrica que preveja os recursos necessários para a reabertura do Hospital Sorocabana em 2019.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA