Projeto de feiras sustentáveis começa neste sábado

0
342

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Carlos Fernandes com materiais do projeto

A partir deste sábado (10) será iniciado o projeto piloto “Vou Pra Feira + Sustentável” da Secretaria Municipal das Subprefeituras, desenvolvido pelo secretário executivo de Abastecimento e Agricultura Carlos Fernandes. “Precisamos revitalizar a feira, que é um espaço que as pessoas circulam em seu bairro. Queremos aumentar esse contato entre vendedores, feirantes e consumidores, além de trazer mais gente para as feiras. Essa é a minha missão de abastecimento”, explica Fernandes.

O objetivo do projeto é tornar o ambiente das feiras mais sustentável e fazer com que a população contribua para o meio ambiente. “São Paulo tem 145 feiras por dia e mais de 800 feiras por semana, já que elas se repetem. É uma das coisas mais capilares na cidade para chegar nas pessoas. Com isso, começamos a estudar como as feiras podem ajudar a cidade a melhorar, começando pela sustentabilidade, desenvolvendo nelas pontos de coleta seletiva. Queremos que o resíduo seja visto como compromisso de quem fabrica, de quem distribui e também de quem consome. Temos que criar oportunidades para que o cidadão possa entregar os materiais recicláveis. Assim você muda a cultura”, declara Fernandes.

Quem levar resíduos como vidro, papel, plástico, baterias, entre outros, poderá trocar o material na própria feira por água, adubo orgânico, mudas de tempero, vasos feitos com fibra de coco ou bagaço de cana, sabão ecológico e ecobags, adquirir pontos ou trocas diretas por produtos da própria feira. Em um segundo momento, serão estudadas também outras parcerias para quem levar materiais recicláveis nas feiras como o desconto na conta de luz ou crédito no Bilhete Único.

Fernandes fala sobre a importância de estimular o uso de materiais que causam menos impacto para o ambiente. “Precisamos criar o hábito das pessoas não usarem o saco de plástico, mesmo que seja o biodegradável, que demora três anos para se decompor. Para quem vende pastel, caldo de cana e coco, vamos trocar os materiais de plástico por copo e canudo descartáveis de papel e vamos implementar a coleta do resíduo da feira em sacos compostáveis, feitos de mandioca e cana. Quando você separa os FLV (Frutas, Legumes e Verduras) para a compostagem, se o material chega em sacos plásticos precisa separá-los, mas esse que vamos utilizar, na hora que você joga lá ele decompõe junto”, declara Fernandes. Também serão instalados trituradores de coco, cuja fibra será encaminhada para associações que fazem trabalho de artesanato, e serão criados espaços para realizar oficinas e atividades .

Participam do piloto cinco feiras da região: Rua Barão do Bananal (dia 10), Rua Fábia (dia 11), Rua Bartolomeu Bueno (dia 13), Rua Cayowaá (dia 14), Rua Ministro Ferreira Alves (dia 16), e uma no centro, Rua dos Andradas (dia 15). A ação acontecerá durante 60 dias. Após esse período, Fernandes e sua equipe vão fazer um balanço dos resultados e discutir os planos de expansão da iniciativa.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA