Diálogo imprescindível

0
275

A base de todo relacionamento é ter abertura para conversar e chegar a um entendimento que seja benéfico, se não para todos, para a maioria. Ao se tratar de questões comunitárias, que envolvem moradores, entidades privadas e poder público não poderia ser diferente.

Ser palco das discussões que afetam a região é a proposta da Distrital Oeste da Associação Comercial de São Paulo, que durante essa semana reinaugurou sua sede após reformar as instalações. Antes da pandemia eram comuns encontros por lá sobre os mais variados temas, desde obras públicas às reuniões dos Conselhos Comunitários de Segurança.

Bem próximo à Distrital Oeste estão as ruas residenciais da City Lapa, que sempre foram motivo de orgulho e preocupação de seus moradores. Conscientes de viver em um bairro histórico e tombado, associações e vizinhos sempre se empenharam para preservar a qualidade de vida no bairro, assim como garantir seus serviços e segurança. Porém, o projeto de intervenção realizado nas vielas, com a instalação de floreiras, continua gerando controvérsias. Quem mora nas ruas que são ligadas pelas passagens, como a Saldanha da Gama e Duarte da Costa, afirma que a obra prejudicou a visibilidade, facilitando eventuais delitos como consumo de drogas e roubos, e carece de manutenção, com lixeiras cheias, acúmulo de folhas e descarte inadequado de materiais, entre eles bitucas de cigarro e embalagens de alimentos. Foi realizada uma mobilização para que o projeto não avançasse, mas nesse caso a tentativa de diálogo não surtiu efeito. Apesar do gasto de recursos já realizado, os moradoras pedem que a remoção da estrutura seja feita.

Com um bom diálogo, ou melhor, com uma boa conversa era como a Dona Felicidade recebia seus clientes no restaurante. Tive o prazer de conversar com ela em mais de uma ocasião, sempre muito simpática e com histórias interessantes para compartilhar. Posso dizer que o seu falecimento será sentido por todos que a conheceram. Que o seu legado permaneça.

O mês se aproxima do fim, mas as festividades juninas continuam no começo de julho. Paróquias, escolas, coletivos de praças e associações querem recuperar o tempo perdido da pandemia e organizaram belos arraiais pela região. Não mais em formato de drive-thru, mas presencial. Quem ainda não foi, recomendo as das paróquias São João Maria Vianney e São João Batista de Vila Ipojuca. Para além das comidas, brincadeiras e músicas típicas, esses encontros são uma ótima oportunidade para conhecer os vizinhos e dialogar sobre temas de interesse em comum.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA