Incompetência da Enel revolta moradores

0
390

Foto: Lúcia Helena Oliveira

Lúcia Helena Oliveira
Moradores protestaram por ficarem quase cinco dias sem energia

A cena registrada pela reportagem do JG no início da noite da terça-feira, 7, 100 horas após a cidade ser varrida por ventos de 103 km/h, ilustra o sentimento dos paulistanos diante da inoperância da concessionária Enel.  Um grupo de moradores de condomínios das ruas Carlos Weber e Brentano, na Vila Leopoldina, interrompia parcialmente o cruzamento das duas vias para tornar pública a revolta e insatisfação de várias famílias diante da incompetência da empresa responsável pela distribuição de energia na cidade de São Paulo. Durante o vendaval na sexta-feira, 3, 22 árvores caíram na região que abrange a Subprefeitura Lapa, de acordo com balanço da Secretaria das Subprefeituras.

Ao lado de uma faixa com os dizeres “Enel, cadê você”, vizinhos exaustos com os transtornos de quatro dias sem energia em suas residências pediam o fim da jornada de pesadelos causados pela concessionária. “Queremos luz”, era a palavra de ordem dos manifestantes. “Se no começo tomávamos banho frio, agora nem isso é possível. Não temos mais água nas caixas do condomínio. Sem energia, não há como bombear a água. Perdemos alimentos na geladeira. O gerador que aciona o elevador está sobrecarregado”. Relatos assim se repetiam ao longo da manifestação, que foi seguida por outra longa e angustiante noite. Foi somente na manhã da quarta-feira, 8, que uma equipe da Enel devolveu energia aos condomínios.

A falta de estrutura da Enel levou o caos também a moradores da Lapa, Jardim Humaitá e Perdizes, entre outros bairros da região da Subprefeitura Lapa. A concessionária, ao longo de toda crise, repetia a surrada justificativa do “nunca antes”, com seus dirigentes afirmando que “é a primeira vez que acontece um evento dessa magnitude na cidade”.

O prefeito Ricardo Nunes, usando suas redes sociais, comunicou, na quarta-feira, a abertura de ação judicial contra a Enel. “A Procuradoria Geral do Município de São Paulo entrará com ação civil pública contra a ENEL, por descumprimento de acordo da empresa com a capital paulista e de outras normas legais”, afirmou Nunes. “Além disso, a Prefeitura irá notificar o Procon e a ANEEL para que medidas sejam tomadas contra a concessionária”, ressaltou o prefeito.

No sábado, 4, em vídeo publicado nos stories do Instagram, os subprefeitos da Lapa, Ismar de Freitas Neto, e de Pinheiros, Leonardo Santos, também criticavam a Enel, apontando descompassos da empresa no diálogo com as subprefeituras, de modo a sincronizar a execução dos serviços públicos de remoção de árvores e galhos tombados com os trabalhos das equipes da concessionária.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA