Mario Covas Neto fala sobre campanha

0
1846

Foto: Rosana Braccialli

Rosana Braccialli
Mário Covas Neto busca a reeleição ao cargo de vereador

O vereador e candidato a reeleição pelo PSDB Mário Covas Neto visitou a redação da Página Editora e Jornal da Gente. Filho do ex-governador Mário Covas, o candidato afirma que levou 13 anos até resolver se dedicar à política.

Covas Neto é formado em direito e integrou a equipe de coordenadores das campanhas majoritárias de seu pai nas eleições ao Senado Federal (1986), ao Governo do Estado de São Paulo (1990, 1994 e 1998) e à Presidência da República (1989). Atuou também na campanha de Fernando Henrique Cardoso ao Senado (1978) e como coordenador das campanhas proporcionais de Tião Farias a vereador (2004), e Bruno Covas a deputado estadual (2006).

Com as novas regras de campanha, Mário afirma que a menor quantidade de dinheiro e tempo, favorece os candidatos que já estão eleitos. “Para vereadores especialmente, a tendência é ter uma renovação menor”, afirma.

Ele falou que tem vontade de disputar um cargo no executivo, pela maior facilidade de realizar ações. “No Legislativo as coisas andam muito devagar. No executivo tem a possibilidade de ver as coisas até o fim”, diz. Covas encerra seu primeiro mandato com projetos ainda em tramitação. Ele cita ainda que um de seus projetos que foi vetado pela prefeitura, o bilhete especial do desempregado, é agora lançado como promessa de campanha da atual gestão.

Como vereador de oposição, Covas afirma que teve grande liberdade na votação de projetos e é contrário à eleição direta para subprefeitura. “Se (o subprefeito) não tiver afinidade com o prefeito, a subprefeitura não sobrevive”, completa. Mas o vereador defende que as subprefeituras devem ter mais autonomia do que têm hoje.

Sobre os Conselhos Participativos, Covas defende que os cargos sejam utilizados por pessoas que representam a comunidade. Ele acredita que, atualmente, os membros chancelam projetos da prefeitura. “O Conselho Participativo referenda o que o executivo quer”, afirma.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA